DIREITA, ESQUERDA.

Charge de Saul Sternberg

 

Para o meu querido R. P. A. ou R. S., que de qualquer modo está sempre “certo”…”disso”.

 

 

A coisa parece que é assim.

Há a Direita e há a Esquerda. E aí você pode divagar como quiser, fazendo combinações várias. Bem e mal, certo e errado, branco e preto, a Sinistra.

Mas não muda o fato de que há uma Direita e há uma Esquerda. No meio poderão existir zilhões de variantes, ao gosto do freguês: presbiteriano, católico, canhoto, socialista, comunista, comedor de criancinhas, ditadura vermelha, fantasma cubano, nazista, integralista, homossexual, evangélico, padre, puta e delegado, se me perdoam a citação a Tom Zé.

Mas, Direita. Mas, Esquerda. Não dá prá fugir, reinventar a roda. Não  importa se você está aí, raivoso contra os bolsa-escola-crime-crack ou acorda com abundante sudorese por ter visto o corpo astral de Fidel . Nada significa se você, radicalizando, propõe radicalizações contra a hegemonia do Capitalismo-Virado-No-Setenta-Transfigurado-No-Jiraya e acorda com abundante sudorese por ter visto o corpo astral de Obama, o Barack.

Direita. Esquerda.

Providencie aí os rótulos que quiser: petralha, quinta coluna do comunismo, tucanalha, filhote da ditadura. Adianta nada, não. Você é uma coisa ou outra, mesmo que não saiba, mesmo que não queira. Direita. Esquerda.

Ah, mas tem o Centro. Tem? E também o radical, o moderado, progressista, o liberal, o conservador. Então tá. Mas sempre transitando naquela linha invisível que liga a Direita à Esquerda.

Eu, por exemplo, sou o que? Esquerda. Me acho assim um, tipassim, puta Esquerda. Muda alguma coisa? Sou corintiano também e não fico mais bonito e nem mais inteligente por isso. Então, tudo bem, vou pelaí convidando todos os de Direita a me darem as mãos e juntos, caminharmos rumo ao horizonte, ao crepúsculo, ao arrebol? Olha, até posso fazer, mas gostaria de fazer ver o quão ridículo é caminhar de mãos dadas rumo ao horizonte.

A coisa é séria! Quanto tempo caminharíamos, assim irmanados? Chegaria aquela hora, constrangedora, na qual timidamente perguntaríamos a nosso parceiro ou parceira de mãos dadas: e aí, já deu? Já tá bom? Ganhamos nosso alpiste?

E alegremente voltaríamos às trincheiras midiáticas, às redes sociais, com nossas receitas de hoje, Dona Palmirinha, para salvar o Brasil.

Direita e Esquerda. Pessoalmente reconheço, recomendo e aviso: você sempre esteve de um lado ou de outro, mesmo que não reconheça, mesmo que não goste.

Tá, mas e o PT?

Olha, sou mais o Antônio Conselheiro, o anacoreta sombrio de Euclides da Cunha, que conseguiu a façanha de ser odiado à esquerda e à direita.

Anúncios

6 comentários em “DIREITA, ESQUERDA.

  1. Sem o sarro, a piada, o bom humor, o que seria de nós, pois não? Então vá lá, meu caro radical…de centro de umbanda. Seguirei o exemplo, radicalizarei pelaí em algum tempo zen, de candomblé, essas coisas. Abraço radical.

    Curtir

  2. Porque é preciso ser assim, assado… O problema é que hoje a galera anda se assando demais por ideia de menos. Mas, enfim, enquanto o bagulho for desigualmente tenso como está, continuo com minha fogueira à esquerda, bem onde o sangue bombeia.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s