A CANÇÃO IMANTADA DE HILDA HILST

Grupo de teatro EL RAYO MISTERIOSO

Grupo de teatro EL RAYO MISTERIOSO

O incrível não é Hilda Hilst ter gestado Júbilo, memória, noviciado da paixão. Na verdade é incrível, sim, quase um edifício milagroso. Mas, entretanto, o incrível também é Zeca Baleiro ter produzido o álbum com os poemas de de Hilda, musicados. Agora, o incrível mesmo, o milagroso vero, o inesperado, é Mônica Salmaso ter conseguido cantar a Ode descontínua e remota para flauta e oboé. De Ariana para Dionísio.
Pode ser encontrado lá no YouToba.

Tenho meditado e sofrido
Irmanada com esse corpo
E seu aquático jazigo

Pensando

Que se a mim não me deram
Esplêndida beleza
Deram-me a garganta
Esplandecida: a palavra de ouro
A canção imantada
O sumarento gozo de cantar
Iluminada, ungida.

E te assustas do meu canto
Tendo-me a mim
Preexistida e exata

Apenas tu, Dionísio, é que recusas
Ariana suspensa nas tuas águas

Inadmissível que não se ouça a Mônica Salmaso enquanto se lê o poema.
Inadmissível não se ler Hilda.
Eu comecei em 1985.

Anúncios

Um comentário em “A CANÇÃO IMANTADA DE HILDA HILST

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s