SOBRE A ANTIGA E FECUNDA ARTE DE NÃO SER UMA PESSOA DO BEM

 

Anjo da morte

 

Sei que todos me acharão superficial e tolo. Dirão, é tão fácil a pessoa não ser uma pessoa do bem! E aí vinde vós e dizeis que nos ensinareis sobre como ser um crápula. Ora, ora. Homessa!

Mas não, peço que me empresteis vossos ouvidos ou vossos olhos. Todo caso, dai-me vós o benefício da dúvida.

Ocorre que não sabeis o que é ser do mal, sois amadores. Achais que é só garatujar a sangue e fogo uma frase na testa de d´algum pequeno ladrãozito? Achais que é só mastigar e decepar o artelho de alguém de quem não gostais?

Tolos!

Amadores é pois o que sois.

Não ser uma pessoa do bem é mais do que perpetrar pequenas covardias para o gáudio de outros tantos pequenos covardes.

Não ser uma pessoa do bem exige mais! Exige comungar com Satanás e com Deus ao mesmo tempo. Exige ser bom para extrair o mais fino licor do mal, na bondade.

Exige mais do que ser apenas um Adolph Hitler qualquer, pessoa inculta (porque não tornada adulta), escrevendo mal e porcamente um Mein Kampf.

Exige mais, vos digo.

Para que se torne alguém uma pessoa que não é do bem se exige entranhas sólidas, ancoradas no mais profundo vazio.

Exige que a pessoinha do mal se creia boa e dona de verdades! Enfim, é um processo.

Sede então bons e propagai a bondade!

E, por favor, fazei por bem crer que sois o sal da terra.

E a arte de feder até os céus será toda vossa.

RECEITA PARA DOMINAR O MUNDO

TIRANO

Não é fácil, esclareço de pronto. Existem concorrentes de peso conhecidos e, pior, os desconhecidos (sempre tem um maluco para competir com você). Mas, é possível. Para ser um bom dominador do mundo é preciso primeiramente atender a certos requisitos, não necessariamente todos e não necessariamente excludentes:

1- Você pode ser um cientista maluco, por exemplo. Um cientista genial a frente de seu tempo, com tendências paranoides acentuadas. E se você for obsessivo ao extremo,  sempre ajuda, mas convém tomar cuidado com os ajudantes. Principalmente se atenderem por Ígor;

2 – Ou, quem sabe, um mago dotado de poderes malignos que tenha algum objeto de poder mágico (uma joia mística que só funcione com o alinhamento dos planetas, um livro misterioso, essas coisas). Mais uma vez, também é preciso ter cuidados com os ajudantes;

3 – Existe uma variante do mago, que é a de pertencer a uma seita secreta com milhares de anos de existência cheia de segredos místicos e planos de dominação deste simplório plano físico. Também conhecida como variante Ctulhu (leia H. P. Lovecraft);

No caso de uma seita, é importante a presença de um líder com acesso a objeto mágico de manipulação do meio físico em nível planetário. É ainda necessário que a seita em questão seja antiga, com mitologias particulares bem sedimentadas de domínio e a crença num destino manifesto maior, conjugada a crença na sua superior capacidade de ditar os destinos humanos.

4 – ou você pode optar pela promissora profissão de Tirano Extragalático Do Mal Com Vontade De Estuporar O Planeta. Darth Vader; Ming, o impiedoso, você sabe.

Ainda no que tange ao tirano em potencial, também é possível que seja ele uma entidade supranormal ou, mais idealmente, uma entidade com capacidades super-humanas (Ver PROLEGÔMENOS PARA DOMINAÇÃO PLANETÁRIA, Dr. Gori, 1987).

Neste espectro de possibilidades poder-se-ia especular a título de exemplo, a ocorrência de entidades parafísicas com capacidades de manipulação mágica, tais como: demônios associados a maldições cósmicas, obscuros deuses(as) de culturas antigas e seus sacerdotes com expertise em magia negra, necromancia, teurgia, goecia, pactuação demoníaca de nível I, manipulação de planos extrafísicos, etc, etc.

Já foi inclusive provado que através do uso intensivo de hipnose telepática e preces fervorosas, é possível influenciar as correntes históricas padrão (Ver PSICO-HISTÓRIA COMO APLICAÇÃO, Jurgens, 2000), se consideradas como vetores Riemannianos em um sistema.

Tal domínio, evidentemente, pressupõe uma vontade focal, vastos conhecimentos de Teurgia Pura, não se desconsiderando mesmo o uso da Goecia Quimbândica. Todo processo deve ser cuidadosamente velado, de tal forma que os agentes sociais e, principalmente, Deus, não encetem tentativas de frustrar as ações do dominador em potencial.

Entretanto, convém ao dominador do mundo novel ter sempre em mente que os dominadores de mundos geralmente se dão mal no final. Fu Manchu especula que tal tendência de queda abrupta na curva de domínio deva-se a uma lei ainda não adequadamente formulada que preveja o equilíbrio cósmico (Ver “O MAL COMO ECONOMIA: Um estudo de Atuações Maléficas como Vetores de Realidade – Fu Manchu, 1976).

Não, esse negócio de dominar o mundo não é uma boa ideia. Trabalhoso é pouco.

Certo, esqueça, torne-se um consultor ou uma consultora Jequiti e seja feliz de outro jeito.