SOBRE A ANTIGA E FECUNDA ARTE DE NÃO SER UMA PESSOA DO BEM

 

Anjo da morte

 

Sei que todos me acharão superficial e tolo. Dirão, é tão fácil a pessoa não ser uma pessoa do bem! E aí vinde vós e dizeis que nos ensinareis sobre como ser um crápula. Ora, ora. Homessa!

Mas não, peço que me empresteis vossos ouvidos ou vossos olhos. Todo caso, dai-me vós o benefício da dúvida.

Ocorre que não sabeis o que é ser do mal, sois amadores. Achais que é só garatujar a sangue e fogo uma frase na testa de d´algum pequeno ladrãozito? Achais que é só mastigar e decepar o artelho de alguém de quem não gostais?

Tolos!

Amadores é pois o que sois.

Não ser uma pessoa do bem é mais do que perpetrar pequenas covardias para o gáudio de outros tantos pequenos covardes.

Não ser uma pessoa do bem exige mais! Exige comungar com Satanás e com Deus ao mesmo tempo. Exige ser bom para extrair o mais fino licor do mal, na bondade.

Exige mais do que ser apenas um Adolph Hitler qualquer, pessoa inculta (porque não tornada adulta), escrevendo mal e porcamente um Mein Kampf.

Exige mais, vos digo.

Para que se torne alguém uma pessoa que não é do bem se exige entranhas sólidas, ancoradas no mais profundo vazio.

Exige que a pessoinha do mal se creia boa e dona de verdades! Enfim, é um processo.

Sede então bons e propagai a bondade!

E, por favor, fazei por bem crer que sois o sal da terra.

E a arte de feder até os céus será toda vossa.

FRASES EXTRAÍDAS EM MOMENTO DE LESEIRA DIRETAMENTE DO CELESTIAL BANHEIRO DOS DEUSES

Zen Duck - by Loopydave

Zen Duck – by Loopydave

Bem, de volta aos aforismos. Claro, podemos estar sendo um tanto pretensiosos, daí mudaremos: vamos às frases de, digamos, sanitário. Não é o melhor do espírito humano, mas é humano.

Salve!

O que é o amor? Bem, de uma coisa eu sei: não vem em garrafa.

 

Somente eu, eu mesmo, este homem simples aqui, sei onde está o amor. Na terceira prateleira, de baixo prá cima, ao lado da farinha de mandioca e da carne de sol.

 

Só o amor constrói. Agora, não vá sair por aí se apaixonando por qualquer pedreiro!

 

E as mulheres? O que dizer das mulheres? Bom, meu conselho é que se deixe em paz as mulheres. Mulherando, como sempre mulheraram desde o início dos tempos. Somente uma mulher pode mulherar.

 

De uma vez por todas! O mundo não é dos espertos, O MUNDO É MEU!!!! Só meu! Minha propriedade! Espero ter sido claro.

 

Uma sexta-feira é tipassim uma antecipação de bimbada. Já o sábado pode ser um orgasmo ou, mais naturalmente, uma broxada básica.

 

Isso, me irritem, que uma hora eu me mudo prá São Paulo e nunca mais volto pro Brasil.

 

Eu sou inteligentíssimo, tu de vez quando acertas, ele nunca me enganou, nós de tudo sabemos, vós sois um imbecil e eles só votam nas pessoas erradas.

 

O problema não é o “gigante acordar”. Problema mesmo é o café da manhã demorado, a base de brioches, sucos naturais diversos, fiambres finíssimos, melões importados dos nevoentos vales da Indonésia, os pães de centeio importado da Capadócia e as geleias de frutas do bosque feitas artesanalmente por freiras belgas. Depois sim, o gigante acordado, pode-se ir à praça se manifestar. E a praça é do povo como o céu é daquele rapinante andino lá que eu esqueci o nome.

 

Eu estou certo, tu estás errado, ele se equivoca sempre, nós as vezes erramos, vós sois um alienado e eles não entenderam nada.

 

Eu protesto, tu não sabes o que fazes, ele não estava lá, nós nos manifestamos, vós estais no lado errado e eles estão nos corrompendo.

 

Eu Dilmo, tu Dilmas, ele Dilma, nós Dilmamos, vós Dilmais, eles ainda não decidiram…

 

Quatro cascos não fazem um cavalo. Mas ajudam.

 

Cuspa no prato que comeu, mas seja educado: cuspa fazendo um biquinho.

 

Nada mais burro que uma frase inteligente. Falar abrobrinha exige arte.

 

Foda-se o mundo? Claro que não! Foda-se muito o mundo? Fora de questão! Um foda-se merece mais atenção que homilia de papa e sermão de pastor. Um foda-se é uma ponte ligando o bico do seu sapato ao traseiro da bundamolência cósmica! Um foda-se é um ato de fé. Nem tudo e todos merecem o nosso foda-se. Um foda-se é para ser tratado com carinho. Foda-se!!!

 

É constrangedor, disse o vampiro católico, mas rápido, tragam-me uma hóstia…

 

O dia começa, amanhecendo. Entretanto, ao anoitecer é noite já.

 

Palavras da Salvação: urna, cibório e bestunto. Doidivanas, sassafrás, perobo. Serôdio, quimbanda, paredro. Hidroquinona, madeiro, inconsútil. Cona, subilatório, merdeiro. Ferrabraz, esponsal, himeneu. Peripatética, testículo, trompa. Plenilúnio, solstício, pletora. Patranha, pudica, hetaíra. Parquetina, mirra, poliflor. Amém.

 

E aí o sujeito morre, vai pro Nosso Lar ou pro Umbral (onde todo mundo se dá mal) ou pro céu ou pro paraíso com cem virgens a disposição ou pro inferno ou vai pros Felizes Campos de Caça ou prá terra de Maivotsinim ou prá terra de Macunáima ou pro Lar dos Cinco Abençoados Imortais ou prá a Terra de Takeuspa. Não importa. O que importa é a pessoinha ter etiqueta, ser fina, quando morrer deve ficar morta, imóvel, tipo assim um cadáver do bem. Boas maneiras são tudo, até no pós-vida. E é isso que eu tinha prá falar a respeito da morte…

 

Sábio é o proxeneta que não cafetina, o ludopedista pouco chegado em bolas, o parlapatão que não é um palhaço. Enfim, sábio é o apedeuta que não escreve malediscências.

 

A perseguida da perseguida política é tão perseguida quanto a perseguida da eventual perseguidora. O que nos ensina muito sobre perseguidas, embora nada sobre a política.

 

O sonho de meu coração é morrer como um velho sibarita, desfrutando das lembranças de um passado de pecados ignominiosos e continuando a pecar como sói peca um velho sibarita: do jeito que dá.

 

Tudo é algo. Atentem bem para a profundidade da frase: tudo é algo. Mas tudo cala frente ao bruto fato de que ninguém é alguém.